O Monte Vesúvio e a História de Pompéia , Itália

Parece contos e fabulas, mas é tudo verdade! 

Entrada do sítio arqueológico de Pompéia Foto: Camila Castanheira

Quem nunca ouviu falar em Pompéia , Itália , e sua trágica história em que foi totalmente destruída pela monstruosa erupção do Vulcão Vesúvio? Esta inacreditável catástrofe da natureza aconteceu há muito tempo, durante o império romano, em 79 d.c.  Foi algo inesperado e pegou a população de surpresa. O vulcão estava dormindo há mais de 800 anos e atingiu várias cidades da região, matando milhares de pessoas. Do topo de seus 1.281 metros foram expelidos 4 quilômetros cúbicos de magma, devastando cerca de 300 quilômetros quadrados ao seu redor.

Por conta disso, por muito tempo Pompéia  praticamente “sumiu do mapa” e foi redescoberta timidamente no século XVI, quando trabalhadores se depararam acidentalmente com vestígios durante a construção de um canal de água. Nesta época, não avançaram com as escavações e a descoberta foi praticamente deixada de lado. Apenas dois séculos depois que realmente se iniciou um processo de arqueológico e se identificou Pompéia. 

Arqueólogos encontraram vestígios e ruínas da cidade italiana muito bem preservados e muito disso está exposto hoje no Museu Arqueológico de Nápoles. Têm, inclusive corpos humanos preservados  pelas cinzas na posição que estavam no momento do desespero. Há tempos atrás, escavadores tiveram a ideia de preservá-los com argamassa. É uma sensação bem estranha ver isto ao vivo!

Atravessando na faixa de pedestres de Pompéia Foto: Camila Castanheira

Após a erupção do Vesúvio, o solo de toda região afetada adquiriu nutrientes que faz florescer e crescer tudo que é plantado e cultivado.  Lá são semeados os famosos tomates vesuvianos, amplamente utilizados na gastronomia mediterrânea. As vinícolas das redondezas também são muito conhecidas, e cultivam o Lacryma Christi, um dos mais famosos vinhos de toda a região desde a Idade Média.

Praça central de Pompéia Foto: Camila Castanheira

Monte Vesúvio: Ficar ou Correr?

O Monte Vesúvio está adormecido, em um “ciclo de repouso”, como afirmam os vulcanólogos. Porém, ainda existe a possibilidade de erupção. Nos últimos anos, com o risco de uma nova calamidade sem aviso,  os governantes italianos criaram um plano emergencial para retirar as 700 mil pessoas das regiões próximas caso venha a ocorrer uma erupção. O plano, divulgado pelo Departamento de Proteção Civil da região da Campânia, ao sul da Itália, lista 25 municípios que fazem parte da zona de perigo imediato. 

Para os aventureiros de plantão, existem passeios que levam você até a cratera do gigante adormecido. Mas, se você preferir contemplá-lo de longe, é possível observar o Vesúvio dali de Nápoles, ou, ainda, também há uma linha de trem, Circumvesuviana, que contorna o vulcão.

Vesúvio visto da cidade de Nápoles Foto: Camila Castanheira 

Como visitar Monte Vesúvio e Pompéia , Itália

A partir de Nápoles, chegar a estes destinos é bem fácil: o trem te deixa praticamente na porta. Não tive tempo de ir ao vulcão, e confesso que queria ter vivido a experiência, mas, por outro lado, fiquei um dia inteirinho aproveitando Pompéia.
Assim que chegar na entrada do sitio arqueológico de Pompéia, pegue o mapa e o áudio guia. Achei que ambos os guias não conversam muito, o que em certos momentos dificultou o meu entendimento. Contudo, mesmo assim, aconselho fazer o passeio com os dois instrumentos de informação, pois a cidade é relativante grande para se visitar a pé e se localizar não é tão simples assim.

Dois momentos do passeio me chamaram bastante atenção: primeiro, foi quando conheci os corpos de gesso, que, como disse acima, foram conservados por todos estes anos devido as cinzas do vulcão.

Algumas das estatuas em gesso Foto: Camila Castanheira

O segundo momento foi quando visitei um antigo bordel. Pinturas exaltando o ato sexual são vistas em todos os cantos, juntamente com camas de pedra. Pompéia, no passado, foi um dos principais lugares no mundo em que as pessoas eram pintadas em explícitos atos sexuais. Órgãos genitais masculinos também eram constantemente ressaltados e são encontrados por diversos lugares na cidade, até mesmo em casas normais. Quem desejar conhecer um pouco mais sobre este período, o Museu Arqueológico de Nápoles tem um acervo enorme explicando tudo sobre estas manifestações artísticas.

Pinturas simbolizando o ato sexual Foto: Camila Castanheira

Há também a possibilidade de conhecer o sitio arqueológico de Herculano no mesmo dia de viagem à Pompéia. Estava nos meus planos, contudo fiquei muito cansada com a visita à Pompéia. De certa forma, depois que vivenciei, não recomendo visitar as duas cidades no mesmo dia caso você queira explorar bastante Pompéia. Agora ,caso queira algo mais tranquilo, sem muito aprofundamento, vale a pena, sim, visitar as duas cidades no mesmo dia. 

Agora que você já entendeu um pouco sobre Pompéia e o temido Vesúvio, não perca tempo e inclua no seu próximo roteiro à Itália. Uma sugestão é ter Nápoles, a cidade da pizza, como base para explorar toda a região. Vale cada segundinho uma viagem a esta parte da Itália! 

RESERVE PELO BLOG

Camila Castanheira é publicitária, paulista, pós graduada em Negócios e Empreendedorismo. Já fez intercâmbio para a Inglaterra, conhece mais de 30 países e 300 cidades em todo o mundo. É apaixonada por história da arte, música, dança e não dispensa jamais um bom café! No dia a dia aplica o que tem como lema: comunicar que o turismo, juntamente com a arte, tem o poder de transformar as pessoas e mudar o mundo.

Deixe seu comentário

Um pensamento em “O Monte Vesúvio e a História de Pompéia , Itália”